Gente que Cuenta

Graças a Deus, existem jornalistas! – Alejandra Hernández Fuentes

Social Media & Fake News.
Noor Us Safa Anik, 2019.

leer em espanhol

Quando eu era pequena, ouvia que os adultos diziam que “os boatos voam rápido”, e quando alguém que eu conhecia era afetado, não era incomum ouvir no ambiente que em “cidade pequena, o inferno é grande”.

Ambas as expressões me levam a pensar em “notícias falsas” ou fake news, um fenômeno que não é nada novo, mas que agora se ampliou devido à sua propagação vertiginosa pelas redes sociais.

Em outubro de 1925, Edward McKernon publicou um artigo na revista americana Harper’s Magazine, intitulado Fake news and the public, no qual denunciava como as tecnologias emergentes dificultavam a luta contra os boatos, a manipulação de mercado e a propaganda.

Quase um século depois, ainda lidamos com o mesmo problema, só que, no mundo globalizado de hoje, não interessa se a cidade é pequena, média ou grande, o inferno simplesmente está lá quando se trata de “boatos” que aconteceram e foram viralizando a través de plataformas como Facebook, Twitter, Instagram ou WhatsApp, para citar alguns.

Embora a media tenha democratizado o acesso à informação e permitido aos cidadãos um papel ativo como produtores e emissores de notícias, a verdade é que o trabalho dos jornalistas é mais necessário do que nunca.

Agora têm um novo desafio, uma nova missão: negar notícias falsas, que por sinal estzão na ordem do dia e atingem as diferentes áreas da vida humana. Não fico contando a quantidade de vezes que, por exemplo, uma celebridade foi morta no Twitter, seja um político ou um artista. A lista foi encabeçada pelo falecido líder cubano Fidel Castro, mas os cantores Jon Bon Jovi, Justin Bieber e David Bisbal já tiveram o mesmo destino. A crise de saúde causada pela Covid-19 também tem sido um terreno fértil para notícias enganosas, o que também semeou medo na população mundial.

Graças a Deus, existem jornalistas! Mas como seria o mundo sem eles? Eu nem consigo imaginar. Uma sociedade bem informada é uma sociedade mais livre e segura, e isso é possível graças ao jornalismo.

Hoje, 27 de junho, Dia do Jornalista na Venezuela, meus cumprimentos e parabéns a todos os meus colegas.

Alejandra Hernández Fuentes é advogada e jornalista venezuelana. Tem mais de 15 anos de experiência como repórter e professora universitária. Atualmente mora na França, onde trabalha como pesquisadora acadêmica na l’Université de Lorraine.

alejandramhernandezf@gmail.com

Leave a Reply