Gente que Cuenta

O dia em que os japoneses invadiram Califórnia – Roberto Managau

Ataque a Pearl Harbour,
1941

Durante a 2° Guerra Mundial, em 1942, entre muitos outros, um episódio inusitado ocorreu no litoral da cidade de Los Angeles. Na tarde de 23 de fevereiro, um submarino japonês teria sido avistado a alguns quilômetros de distância da praia de Santa Monica, fato que deixou os moradores aflitos, devido ao recente ataque japonês a Pearl Harbor.

A notícia se espalhou, somado ao fato de que algum submarino japonês já havia torpedeado navios mercantes naquela área. As autoridades militares organizaram a defesa com canhões antiaéreos, visto que também foi avistado um avião sem bandeira sobrevoando a costa.

As autoridades militares organizaram a defesa com canhões antiaéreos

A população civil decidiu tomar medidas para defender a cidade. Famílias inteiras se armavam com espingardas e capacetes de futebol americano, enquanto mães e esposas serviam sanduíches e coca-cola para os defensores.

Na madrugada do dia 25, aviões teriam sido vistos e a artilharia antiaérea abriu fogo assim que os refletores iluminaram o céu de uma cidade escura devido ao blecaute decretado. Civis atiravam na direção da costa e para o céu. As ruas estavam em caos total, as telefonistas sobrecarregadas e as delegacias constantemente recebendo ocorrências: 2 aviões japoneses teriam caído, incluindo um numa rua de Hollywood. Mesmo um objeto voador não identificado foi o alvo de tiros. As rádios transmitem constantemente notícias do ataque japonês …

Na madrugada desse mesmo dia, o tiroteio parou. Nas fileiras da defesa, 5 baixas … um de susto, outro por ataque cardíaco e três por acidentes de trânsito. As autoridades não encontraram nem o OVNI nem os 2 aviões japoneses abatidos e o alegado bombardeio foi devido ao ruído causado pelo disparo de armas antiaéreas em direção ao céu estrelado. Horas depois, a Marinha relatou que tudo foi alarme falso, produto do país em estado de guerra, da histeria coletiva e de algum inconsciente ter disparado quando não deveria. Um museu da cidade recria o episódio da batalha travada apenas de um lado …

Roberto Managau, uruguaio, reside em São Paulo desde 1982.
Dirige um espaço de arte uruguaia e é apaixonado por futebol,  guerras mundiais e outras curiosidades da história.
rj.managau@gmail.com

del mismo autor

ler em espanhol

3

Leave a Reply