Gente que Cuenta

A curiosa batalha do Castelo de Itter – Roberto Managau

“Com o avanço aliado, os guardas do castelo abandonaram os prisioneiros à própria sorte e estes na busca de ajuda”

leer en español

No Tirol austríaco, existe hoje um remoçado castelo do século XIII, que pode ser visitado. Ao longo dos séculos, esse distinto castelo deve conservar entre suas paredes, os ecos dos inúmeros enredos de quem o habitou.

Quiçá, o mais insólito foi um peculiar episódio da Segunda Guerra Mundial, onde soldados americanos aliados à soldados alemães, lutaram contra … soldados alemães !! Parece improvável, mas aconteceu. Supõe-se a única batalha da grande contenda, em que americanos e alemães entraram em combate como aliados.

Por volta de 1943, o castelo foi convertido em prisão “ilustre” pelos nazistas, para justamente, abrigar prisioneiros catalogados como “convenientes”, que poderiam ser usados como moeda de troca para eventuais negociações com os aliados. E assim, foram “hospedados” eminentes franceses como o ex-presidente Albert Lebrun, os ex-primeiros-ministros Édouard Daladier e Paul Reynaud, a irmã mais velha do general De Gaulle, Marie-Agnès, os generais Maxime Weygand e Maurice Gamelin, e o renomado tenista Jean Borotra.

Com o avanço aliado, os guardas do castelo abandonaram os prisioneiros à própria sorte e estes na busca de ajuda, encontraram muito próximo, um disposto e benevolente oficial alemão antinazista e muito consciente com os rumos da situação insustentável. O oficial, de nome Josef Gangl, comandava um grupo 20 leais soldados, mas sabendo que uma tropa nazista de 200 soldados da temível Waffen-SS, atacaria o castelo, decidiu de bandeira branca, pedir ajuda a um pequeno grupo de soldados americanos que se aproximavam do local. Alemães, americanos e prisioneiros franceses se dispuseram a defender o castelo contra os Waffen-SS. O combate durou 2 dias, 5 e 6 de maio de 1945 e finalizou com a vitória dos defensores, porém entre as baixas, o sempre lembrado oficial Josef Gangl caiu em combate.

Roberto Managau, uruguaio, reside em São Paulo desde 1982.
Dirige um espaço de arte uruguaia e é apaixonado por futebol,  guerras mundiais e outras curiosidades da história.
rj.managau@gmail.com

do mesmo autor

1

Leave a Reply