Gente que Cuenta

Lugar de mulher é no esporte – Fabiana Louro

leer en español

Jugos olímpicos celebrados en Londres en 1908

Em mais de uma semana das Olimpíadas no Japão, com os olhos do mundo voltados para o esporte, notícias polêmicas em relação a algumas atletas começam a aparecer na mídia. Uso de doping? Falta de decoro esportivo? Não, nada disso. A polêmica, que rendeu multa da Federação Europeia de Handebol para a seleção de handebol de praia da seleção feminina da Noruega, foi o uso de shorts no Campeonato Europeu de Handebol de Praia deste ano. Em pleno século XXI, mulheres ainda precisam usar pouca roupa em determinados esportes, diferente dos times masculinos.

Em Tóquio, a seleção de ginástica artística da Alemanha usou collant e calças compridas, como forma de discutir a liberdade de escolha de roupas que façam as atletas se sentirem confortáveis.

"O público precisa ser instigado a ver jogos femininos não pelas belas pernas a mostra, não pelo biquíni usado e sim por interesse na competência, no esforço e no desempenho de meninas e mulheres que lutam todos os dias para treinar e alcançar lugares incríveis dentro do esporte."

Apesar das conquistas no mercado de trabalho, na liberdade reprodutiva, de leis que respaldam a integridade física de mulheres contra o feminicídio, ainda a sexualização de meninas e mulheres ocorre em muitos locais. Em propagandas, em filmes, nas redes sociais e infelizmente nos esportes.

Uma reflexão que trago é: quem prioriza patrocinar mais atletas homens do que mulheres? Quem ainda domina os espaços esportivos como comissões, clubes, diretorias, marcas? Homens. Enquanto homens dominarem esses espaços esportivos, enquanto mulheres não tiverem em posição de decisão e liderança, acontecimentos como esse da seleção da Noruega e muitos outros continuarão acontecendo. A sociedade precisa entender que mulher não é um bibelô para agradar olhos externos.

O público precisa ser instigado a ver jogos femininos não pelas belas pernas a mostra, não pelo biquíni usado e sim por interesse na competência, no esforço e no desempenho de meninas e mulheres que lutam todos os dias para treinar e alcançar lugares incríveis dentro do esporte.

Fanbiana Louro
É atriz, educadora, dançarina e cantora. Atualmente cursa mestrado em educação na UFPE, e é diretora e atriz do Grupo Fuga de teatro e realiza narração de audiodescrição de livros e materiais didáticos, oficinas em educação e artes em escolas.
fabislouro@gmail.com
3

Leave a Reply