Gente que Cuenta

Preguiça imperial – Alfredo Behrens

leer en español

Li recentemente que não fazer um esforço para pronunciar corretamente o nome estrangeiro de um aluno pode constituir uma forma de micro agressão étnica. E pode ter muita verdade.

Na minha escola meu pai tinha um colega chamado Samuel Moreira. Acontece que o diretor inglês da escola não conseguia pronunciar o Moreira e perguntou ao aluno se ele tinha outro sobrenome. E foi assim que o colega do meu pai entrou para a história como Sam Acosta, em homenagem ao sobrenome de sua mãe.

"... o diretor inglês da escola não conseguia pronunciar o Moreira e perguntou ao aluno se ele tinha outro sobrenome"

Bem, uma geração depois eu estava, no que deveria ser uma reunião social com o diretor da mesma escola, ele também inglês. Sam Acosta se aproximou de nós e quando soube que o novo diretor tinha tido seu primeiro filho, perguntou-lhe o nome dele e reproduzo aqui o que lembro do diálogo:

“Rupert” respondeu meu diretor.

“Ele terá que ser um bom boxeador”

“Por que?”

“Porque com um nome assim você terá que aprender a se defender desde cedo!”

Lembro do Sam como um sujeito afável e bem-humorado, mas hoje me pergunto se em seu comentário sobre o nome do filho do meu diretor ele não expressou um indício de vingança do diretor da sua infância por ter mudado seu nome apenas por preguiça imperial.

Alfredo Behrens é doutor pela Universidade de Cambridge, leciona Liderança para as escolas de negócios da FIA em São Paulo e IME em Salamanca, e é Presidente do Conselho Estratégico da Universidade Fernando Pessoa, no Porto, onde reside.

Alguns de seus livros podem ser adquiridos na Amazon.

ab@alfredobehrens.com

1

Leave a Reply