Gente que Cuenta

Ser o não ser, reconsiderado, por Alfredo Behrens

www.atril .press Giorgio de Chirico
Plaza italiana,
Giorgio de Chirico, 1912

ler em espanhol

Ouço dizer, como se fosse pecado, que somos o que comemos. Pode até ser. Eu sou hoje bastante mais pesado do que era quando parei de crescer em altura. Mas, me recuso a pensar que tem tudo a ver com o que comi. Aquela mousse de chocolate, aquele chantilly batido à mão, aquelas barriguinhas de freira, nada disso pode ser pecado.

Mas, a verdade é que a balança acusa certo descompasso. Então, como a lagarta, seremos o que comemos? Se ela, com aquela dieta assaz monótona, da numa bela borboleta, eu ainda tenho esperança. Com tanta barriguinha de freira que tracei, em traça não devo acabar, ou sim?

Mas, onde não houver espelhos ao sair da crisálida, ser borboleta ou traça não faria tanta diferença. Só que não sei aonde irá parar a minha crisálida quando me despedirem. Se for sair da crisálida num mundo de espelhos, e der em borboleta, a minha metamorfose desde aquele ovo teria sido uma viagem egótica. O contrário seria um inferno.

A questão não é ociosa, porque se às lagartas fosse oferecida, à Sandel, uma pequena chance de serem borboletas ao saírem da crisálida, contra uma grande chance de serem traças, aposto que, como eu, relutariam a entrarem na crisálida. Principalmente com tanta mousse de chocolate dando sopa por ai.

IMG 9274
Alfredo Behrens  é doutor pela Universidade de Cambridge, leciona Liderança para as escolas de negócios da FIA em São Paulo e IME em Salamanca, e é Presidente do Conselho Estratégico da Universidade Fernando Pessoa, no Porto, onde reside.
Alguns de seus livros podem ser adquiridos na Amazon.
ab@alfredobehrens.com

do mesmo autor

    ¡Assine a nossa Newsletter!

    3