Gente que Cuenta

A lua e os caranguejos – Alfredo Behrens

“Unos cangrejos necesitaban de mareas más altas y resulta que éstas no son caprichosas.”
Crangrejo
Albrecht Durer
1495

leer en español

Desde quando leio jornais em Montevidéu lembro-me de uma página onde tinha de tudo, histórias em quadrinhos, palavras cruzadas, horóscopos e muito mais. Nessa página também havia um espaço que começava perguntando: “Você sabia disso?” e ai eles te espetavam com algum absurdo inútil.

Na internet também existem absurdos. Mas há também outros, também prescindíveis, mas que me encantam. Por exemplo, nas costas do Quênia e de Zanzibar vivem caranguejos que se sintonizam com as fases da lua quando depositam seus ovos na terra. Fascinante.

Os pesquisadores primeiro tiveram que identificar as fêmeas de diferentes populações. Para mim são todos caranguejos e fazem uma boa sopa. Mas pesquisador é bicho diferente.

Inicialmente os pesquisadores, que também não entendiam muito sobre as marés, pensaram que os caranguejos poderiam querer se orientar pela luz da lua cheia, mas descobriram que havia espécies que preferiam botar seus ovos na lua nova. Ou seja, não era a luz que interessava aos caranguejos.

Acontece que existem espécies de caranguejos que preferem colocar seus ovos mais longe da costa. Esses caranguejos precisavam de marés altas e essas não são caprichosas. As marés mais altas dependem da interação da força gravitacional do Sol e da Lua, e como a Lua está mais próxima do que o Sol, é a Lua que desempenha um papel protagonista nas marés e, consequentemente, na época em que os caranguejos pousam seus ovos. Newton poderia ter perguntado aos caranguejos de Zanzibar.

Você pode achar que é uma informação inútil como a que aparecia nos jornais de Montevidéu, mas se pensa que a Lua só interessa a caranguejos e poetas, pense bem.

Alfredo Behrens é doutor pela Universidade de Cambridge, leciona Liderança para as escolas de negócios da FIA em São Paulo e IME em Salamanca, e é Presidente do Conselho Estratégico da Universidade Fernando Pessoa, no Porto, onde reside.
Alguns de seus livros podem ser adquiridos na Amazon.
ab@alfredobehrens.com

do mesmo autor

1

Leave a Reply