Gente que Cuenta

Us and them – Ricardo Martins

Captura de Tela 2022 01 19 às 15.38.37
El 10 de abril de 1970 Paul McCartney anunció su salida del grupo.

Leer en español

Início dos anos 1970. Eu, na pré-adolescência.  Naquela época, tínhamos pequeno aparelho de rádio em casa. E não existia FM.

A programação musical das emissoras de rádio de então era bem mais rica. Ouvia-se Elis Regina, Isaurinha Garcia, Ângela Maria, Maysa, Elisete Cardoso, Nelson Gonçalves, Roberto Carlos, em sua fase mais produtiva, à época da Jovem Guarda, os mestres do samba, da bossa nova, Frank Sinatra, Dean Martin, Ray Coniff, Vinicius de Moraes …

E rock and roll.

Elvis Presley, Beatles, Janis Joplin, Jimmy Hendrix, Mutantes, Os Incríveis, Jovem Guarda. Aquela profusão de sons em meio ao noticiário sobre a guerra do Vietnã.

E pela TV, num sábado a tarde, após o almoço, eu estava assistindo “Sábado Som”, programa apresentado por Big Boy, o mais importante Dj da época.

Naquele dia, foi exibido o concerto Pink Floyd: Live at Pompeii. E ali naquele momento, ao assisti-lo, o rock começou a fazer parte da minha vida. Foi como que num estalo.

Daí para frente, comecei a acompanhar notícias. Ouvir com mais cuidado. Comprar revistas.  Li sobre os bed in de John Lennon e Yoko Ono pela paz mundial. E consequentemente, tomei noção dos protestos contra essa guerra. E assim minha consciência política nasceu.

Daí passei a ter a companhia dos Beatles, Rolling Stones, Doors, Who, o então rock  sinfônico – que me despertou o gosto por música clássica – Yes, Rick Wakeman e Emerson, Lake and Palmer , a música negra através dos blues …

Não me tornei um músico.  Não experimentei la vida loca de um roqueiro. Isso foi para poucos. Paciência ….

Mas me ajudaram muito na minha vida não tão louca.

IMG 9272 2
Ricardo Martins, jornalista e pesquisador, com trabalhos para a Editora Abril, TV Cultura e Fundação Roberto Marinho.
ricardomarts@yahoo.com.br

do mismo autor

    ¡Assine a nossa Newsletter!

    2